Livros da área de Linguística

Saber onde as andorinhas dormem Ser experiente, ter conhecimento de determinado assunto: “Era vez do sacristão Tibério da Silva botar as mangas de fora, pois ele sabia onde as andorinhas dormiam” [Aníbal Fernandes Bonavides, As profecias do Arquimedes, p. 10]. Sin.: saber onde as andorinhas malham. Var.: saber onde a onça bebe água.

Livro: "Bichos Intrometidos na boca do povo - 3ª edição - pág. 27

a la gurda  Arg., lunf. 1. *Rico o de importancia; a lo grande; en grande escala; mucho, en cantidad; importante, excelente, de lo mejor, lujoso, magnífico, muy bueno, de gran calidad; a la guiurda. ♦ muito, em quantidade.  2. Fácil. • Sin.: Muy del estrunje. □ Rico(a). AL. Adj. popular que indica algo bueno, lindo, entretenido, deseable. ♦ fácil; simples; acessível; elementar.  3. Refugio, guarida. ♦ guarida; escondirijo; (fig.) refúgio.

Livro: "Glosario Esencial del Español /Volume I - pág. 29

vivir a salto de mata  Fig., fam. 1. Ir no vai-da-valsa; viver em desordem, sem método.  2. Arg. Fugindo, evitando ser punido: “Germán se acostumbró a vivir a salto de mata desde que ingresó al país ilegalmente” (‘Germán acostumou-se a viver fugindo desde que entrou no país ilegalmente’ – XV, p. 122).

Livro: "Glosario Esencial del Español /Volume II - pág. 580

Asteismo

Em retórica, '1. Elegância e polidez de linguagem. 2. Uso sutil e delicado da crítica irônica para disfarçar um elogio ou louvor: ironia'  [HOUAISS, 2009]. Vieira e Rui, na prosa, Camões e Bilac, na poesia, são grandes cânones.

Livro: "As Figuras de Estilo e Termos Afins - pág. 25